• (11) 3522-9515

Caminhada marca Semana Municipal de Conscientização ao TDAH

Caminhada marca Semana Municipal de Conscientização ao TDAH

Compartilhe com amor

Caminhada marca Semana Municipal de Conscientização ao TDAH

Ato acontecerá no sábado 14/07/2018, com saída às 8h, em frente à Câmara Municipal de JF

 

Com o objetivo de informar a respeito do diagnóstico e tratamento do Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), acontece neste sábado 14/07/2018 uma caminhada em comemoração à Semana Municipal de Informação e Conscientização sobre o TDAH.

A concentração terá início às 8h, em frente a Câmara Municipal, e segue descendo o calçadão da Rua Halfeld, contando também com tenda disponibilizando orientações e informações sobre o tema.

A iniciativa para se discutir o TDAH em Juiz de Fora veio através da lei nº 13.568, de 2 de outubro de 2017, que institui no calendário oficial do município o dia 13 de julho como Dia Municipal de Informação e Conscientização sobre o Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH).

A proposta foi realizada pelo vereador e médico neurologista Adriano Miranda (PHS), com intuito de fomentar discussões sobre o tema na cidade.

“Como neurologista, vejo grandes dificuldades das famílias em relação ao acesso a informações e entendimento do TDAH. A ideia é sempre promover algum ato para discutir e conscientizar as pessoas”.

Ponte entre escola, família e especialistas

Segundo Miranda, é necessário construir uma ponte entre escola, família e especialistas, já que muitas vezes o diagnóstico é identificado dentro das escolas.

“Até um certo período, pela legislação, existe obrigatoriedade das crianças serem aprovadas nas escolas. Quando elas de fato precisam ser testadas, percebem-se os problemas, como perda de rendimento escolar”, explica.

Foi o caso da Bárbara, de 10 anos. De acordo com a mãe e policial militar, Dalcema Oliveira Rosa, ela foi diagnosticada ainda cedo, com 4 anos, e a desconfiança veio no colégio.

“A escola pediu para verificar, ela passou com o psicopedagogo, que fez vários testes por 2 ou 3 meses, até ser diagnosticada”, conta. “Quando veio a alfabetização, complicou um pouco mais e a batalha foi grande, mas hoje em dia o colégio atual dela está muito receptivo e procurando se inteirar para ajudar”.

O TDAH é um transtorno neurobiológico que atinge várias partes do cérebro, provocando geralmente falta de atenção, inquietude e impulsividade. Por não ser considerada uma doença, e sim um transtorno, o TDAH não tem cura, apenas tratamento.

“Muitas vezes, o TDAH é tido como um modismo, mas, na verdade, a criança só precisa ser tratada, e os profissionais das escolas têm que estar preparados para recebê-las. Com tratamento certo, é possível reverter esse quadro, e a criança pode socializar normalmente como as outras”, afirma Dalcema.

 


Compartilhe com amor
Da Redação

Deixe sua mensagem